França – Interdição dos sacos de plástico : Etapa 2

França – Interdição dos sacos de plástico : Etapa 2

A 1 de Julho de 2016, no seguimento do forum COP21 – forum de inovação sustentável de França, entrou em vigor a lei de Outubro de 2014 sobre a transição energética, que interdiz a distribuição de sacos de plástico de utilização única. Esta data marca o resultado de mais de 10 anos de reflexão no seio da sociedade francesa e representa actualmente uma verdadeira viragem ambiental que abre as portas a outras soluções mais ecológicas tais como os sacos de compras reutilizáveis clássicos (polipropileno, poliester), feitos de materias naturais (Juta, Algodão, Bamboo), reciclados (RPET), biodegradáveis (milho, batatas) ou ainda em papel.

Esta lei foi pensada de forma pedagógica a fim de favorecer uma transição sã e durável. Em primeiro lugar, por permitir tempo aos fabricantes, assim como aos seus clientes directos, de se adaptarem a esta nova legislação, estudando as diferentes possibilidades que se oferecem a eles e afim de permitir escoar o stock de sacos descartáveis, Mas esta lei também teve em conta os hábitos dos consumidores enraizados em muitos franceses, que continuam a estar muito dependentes dos sacos descartáveis. Acabam-se os sacos de plásticos nas caixas, mas continuará a ser possível a utilização de sacos de plásticos muito finos nos postos de venda ao nível dos balcões de venda de frutas e legumes.

Uma segunda questão prende-se com o « atacar » os sacos dissidentes  e completar apartir de 1 de Janeiro de 2017 a interdição de sacos de plásticos descartáveis para assim selar o seu destino no território Francês, na metropole e além mar. Esta etapa suscitara certamente mais dificuldades que a primeira, porque a embalagem e o transporte de produtos a granel (frutas e legumes) são mais problemáticos.

Se bem que um novo passo foi dado, colocam-se outras questões para que não se dê um passo a retaguarda. Com efeito, os sacos diodegradaveis ou compostáveis que parecem actualmente a melhor alternativa para suprir a necessidade de embalagens para as frutas e legumes, necessitam do cultivo de campos de milho ou de batatas, o que terá também os seus limites no plano ambiental. Os sacos reutilizáveis, muito antes da lei de Outubro de 2014, já reduziram considerávelmente a utilização dos sacos de plástico. Com efeito, nós passamos os 10 biliões a 600 milhões de sacos descartáveis consumidos em França em 15 anos. O impacto da produção deste tipo de sacos de utilização múltipla sobre o ambiente não é nulo e deve por isso ser tido em consideração.

No entanto nós sabemos que não há solução miraculosa mas vários componentes a combinar para modificar em profundidade e com convicção os hábitos de consumo. O desenvolvimento de novas embalagens inovadoras para a venda de produtos a granel permite contribuir igualmente para essa mudança social profunda.

De notar, que os franceses com média de 80 sacos de utilização única por ano, são bons alunos quando comparados com a média europeia que é de 200 sacos por habitante por ano…

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *